*Parvovirose canina*



A Parvovirose canina, também conhecida como gastroenterite vírica, é uma doença relativamente recente que se instalou na população canina por volta de 1978. Tal como o nome indica, é causada por um vírus. A principal fonte deste vírus são as fezes de cães infectados, sendo os animais susceptíveis expostos à infecção pela ingestão das partículas víricas. Após a ingestão, o vírus é transportado para o intestino onde invade a mucosa intestinal e causa inflamação.
Infelizmente, e ao contrário da maior parte dos vírus, o vírus da parvovirose canina é muito estável no ambiente e resistente aos efeitos do calor, detergentes e álcool, tendo sido já recuperado de fezes de cão após três meses à temperatura ambiente! 

Devido à sua estabilidade, é facilmente transmitido pelo ar ou por objetos contaminados (roupa, sapatos, etc), não sendo necessário o contacto direto entre os cães para a disseminação do vírus.
Os cães que são infectados e manifestam sinais clínicos ficam doentes normalmente 7 a 10 dias após a infecção inicial. Os sintomas mais característicos são os vômitos e a diarreia, que podem ser bastante severos, embora os cães também possam exibir anorexia, letargia e febre. Geralmente os vômitos são o primeiro sinal e a diarreia pode não estar presente no quadro clínico inicial. A parvovirose pode afetar cães de todas as idades, embora seja mais comum em cães com menos de um ano de idade. Os cachorros com menos de cinco meses são os mais severamente afetados e os mais difíceis de tratar. 

O diagnóstico da parvovirose é muitas vezes um desafio para o Veterinário, pois há uma infindável lista de outras doenças que causam vômitos e diarreia.Normalmente é feito um diagnóstico tentativo com base na contagem das células brancas sanguíneas (leucócitos). A parvovirose é caracterizada por uma contagem reduzida (leucopénia), embora esta possa estar normal no início dos sintomas clínicos! A confirmação do diagnóstico pode ser feita por meio de um teste laboratorial, em que se faz a detecção de anticorpos anti-vírus no sangue, embora resultados negativos não sejam totalmente fiáveis... 

Uma pergunta que naturalmente se põe, é se existe tratamento e se este é eficaz. Não há tratamento para matar o vírus após a infecção. A ação do vírus no organismo do animal não é causar diretamente a morte. Em vez disso, ele provoca uma destruição do epitélio intestinal resultando numa desidratação severa, desequilíbrios electrolíticos e infecção da corrente sanguínea por bactérias intestinais. Assim, o tratamento de um cachorro com parvovirose passa por um tratamento de suporte, em que se tenta corrigir a desidratação e desequilíbrios electrolíticos, mediante a administração de fluidos intravenosos. A este tratamento de suporte adicionam-se os antibióticos, para tentar evitar a septicemia (infecção do sangue), e os anti-eméticos para controlar os vômitos. 

A maioria dos cães com parvovirose recuperam se tiver sido instituído um tratamento agressivo, e se este começou antes do desenvolvimento de septicémia e desidratação severa. Por razões ainda não esclarecidas, verifica-se uma maior susceptibilidade de algumas raças a esta doença, nomeadamente o Rottweiler, tendo uma maior taxa de mortalidade que outras raças. 


Como é que se pode prevenir a Parvovirose?

A melhor maneira de proteger o seu cachorro contra a parvovirose é a vacinação. Os cachorros recebem a vacina da parvovirose quando fazem o esquema de vacinação normal às 8, 12 e 16 semanas de idade. Após as vacinas de cachorro, todos os cães devem levar o reforço anual. As cadelas gestantes devem ser vacinadas duas semanas antes do parto, para que a transferência de anticorpos protetores para os cachorros seja mais efetiva. Em todos os casos, deve ser o Veterinário a decidir sobre o melhor esquema de vacinação para o seu cachorro.

Existe alguma maneira de matar o vírus no ambiente?

A melhor maneira de destruir o vírus é lavar os utensílios, chão e outras coisas que possam estar contaminadas, com lixívia diluída. É importante usar a lixívia porque a maioria dos outros desinfectantes não tem ação sobre o vírus da parvovirose. 

A Parvovirose é um risco para mim? E para os meus gatos?

Até ao momento, não há qualquer evidência de que o vírus da parvovirose canina seja transmissível aos humanos ou aos gatos.

28 comentários:

  1. Oi minha amiga Magda,há quanto tempo!
    Como é bom ler todos ensinamentos que você sempre nos passa a respeito das
    doenças em animais.
    Um beijo grande e ótimos feriados.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  2. Perdi dois cães com essa doença resgatados das ruas. É necessário vacinar os bichinhos!!
    O pior que tem animal que vive com seus donos e não são vacinados...muito triste isso...
    Abraços e ótimo carnaval!!

    ResponderExcluir
  3. Todas as pessoas que possuem animais precisam saber da importância da vacinação.
    Ótimas informações, Magda!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Nossa que doença horrível
    Ainda bem que tem cura quando detectada logo no início
    Um beijinho carinhoso para tí, Magda
    Bom feriado
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  5. Olá Magda
    Como é bom poder se informar das doenças que atacam os bichinhos. E quanto mais rápido for detectada menor será o sofrimento.
    Obrigada pela visita carinhosa. É uma honra ter a sua companhia na minha casinha poética
    Bom carnaval
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Magda,
    Apesar de não ter mais animaizinhos moro em frente de uma loja que vende de tudo para animais e quando precisa de cirurgia vem o veterinário e vejo os sofrimentos dos bichinhos.
    O meu sofreu tanto que nunca mais quis ter um cachorrinho.
    Bela matéria
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  7. Olá Magda,

    O artigo é excelente e bem esclarecedor. A prevenção e agilidade na busca de ajuda especializada pode evitar sofrimento desnecessário para os cães.

    Ótimo feriadão carnavalesco.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Linda! Parabéns pelo excelente Post! Seu Blog é Nota Mil!!! Beijos e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Querida Magda: sempre bom sabermos sobre certas doenças que afetam os nossos bichinhos e como atacá-las.
    Bjn
    Márcia

    ResponderExcluir
  10. É terrível essa doença! Mas, Cindy é vacinada, ainda bem!
    Ótimas informações Magda!

    Beijos!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. olá Magda,como sempre trazendo ótimas materias bjs Rosinha

    ResponderExcluir
  12. Magda, querida,

    Como gostei dessa sua postagem.

    Fiquei surpresa em saber sobre a resistência desse vírus terrível!!

    Ai...procuro anualmente vacinar minhas cadelinhas.

    Querida, tenha uma ótima noite,

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
  13. Bom dia passei por acaso mas gostei muito, um post muito interessante e útil. Respeitar e proteger os animais é também uma forma de melhorar o mundo!
    Já estou a seguir!
    Saudações
    Maria Terra

    ResponderExcluir
  14. Olá Magda, adorei o seu blogue, aprendi imenso e vou ficar por aqui para aprender mais!!! Já guardei lugar:))!
    Bjs
    Maria

    ResponderExcluir
  15. Viemos conhecer este cantinho lindo e tão instrutivo...
    um abraço... te esperamos na nossa casinha... viu??? boa noite...

    ResponderExcluir
  16. Bom dia Magda.
    Sempre com postagem esclarecedoras,não fazia ideia dessa doença canina,muito bom tomar conhecimento.
    Um lindo dia

    ResponderExcluir
  17. Nossa!!! É bom saber sobre essa doença. Vc foi muito esclarecedora!! Adorei o seu blog!!! Bjs e ótima sexta!!!

    ResponderExcluir
  18. Tadinhos, essa informação precisa ser mais divulgada.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  19. Que lindo seu blog,menina!
    Tenho um cãozinho e dóis gatos,seu blog vai me ajudar muito a cuidar deles.
    Tenha um bom dia!

    ResponderExcluir
  20. Amei as patinhas na assinatura! Cada dia mais fofo seu cantinho, parabéns!
    Eu já cheguei a perder filhotes AUdotados, mesmo antes das vacinas. É triste e o pior é que em muitos casos, mesmo com o tratamento, não há melhoras.
    Agora, nunca ouvi falar desse desinfetante lixívia. Sempre deixo meu quintal limpinho, além das vacinas que não perco as datas, mas passeio com meus peludos na rua e dessa forma, eles ficam expostos. Ou seja, vacinar é sempre importante.

    Um lindo final de semana pra vc e os peludinhos.
    Abração esmagador.

    ResponderExcluir
  21. Vim lhe desejar um Feliz Dia da Mulher! Beijos e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  22. Hoje tão somente hoje quero deixar de alguma forma meu
    carinho a todos que sempre dedicou um dia de carinho para mim .
    Meu desejo seria retribuir de alguma forma tudo que aprendi na vida e nos últimos anos
    como um grito de amor nesse dia Internacional da Mulher.
    Rogo a Deus por todos as mulheres que ainda sofre em todo o Mundo.
    Pela falta de compreensão , discriminação pela raça , pela cor , pela classe social
    pela mutilação .
    Que nesse Dia você possa olhar para dentro de si mesmo e dar
    graças a Deus pela vida ter sido generosa ,
    pois a mim você sempre deu carinho afeto e companheirismo .
    Quando estava prestes a desistir, lembrei-me.
    Tinha a maior riqueza do mundo sua (Amizade)
    Hoje deixo essa mensagem independente de ser amiga ou amigo.
    Eu preciso muito da sua amizade e capacidade
    de aceitar - me como sou quero sim
    sua amizade esse sim é o presente que peço nesse Dia Internacional Da Mulher .
    Com todo carinho saberei recompensar sua amizade com o mais puro amor
    que existe dentro do meu coração.
    Deixo nesse dia beijos no coração e afagos na Alma.
    Deixei na postagem um mimo encontre o que você gostar é minha gratidão
    por tudo que representa na minha vida.
    Carinhosamente.Evanir.

    ResponderExcluir
  23. Boa noite Magda

    Venho agradecer o visita ao meu cantinho

    Encontrei um artigo super importante sobre os animais... Adorei...Obrigada

    Beijos e continuação de um óptimo Domingo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  24. Olá Magda, vim retribuir sua visita e carinho e me apaixonei pelo blog!
    Amoooo animais, aqui em casa temos vários!!!!

    Adorei, já estou seguindo!
    Uma ótima semana!!!

    Beijão, Nina

    ResponderExcluir
  25. Passando para desejar uma ótima Semana! Beijos e fique com Deus! Já estou ansiosa pelo seu próximo Post!

    ResponderExcluir
  26. Oi, minha querida!!
    Muito bom conhecer um pouco mais dessa doença terrível. Não sabia que era transmitida pelas fezes do animal. Já perdi um cachorinho lindo, o Pop, ele era cocker, e na época não tínhamos muita informação quanto à vacinação, que como você disse, é fundamental.
    Ah, obrigada pela visita, fico muito feliz quando você nos prestigia no bloguito!!
    Uma linda semana!!
    Bjokas!!

    ResponderExcluir
  27. Oi Magda! Que tal conhecer a minha Jolie? Fiz um Post sobre ela! Beeeiiijooosss e fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda, linda, igual a sua mamys!!
      Fiquei feliz e emocionada por conhecer a história da Jolie.
      Beijinhos pra vocês duas!

      Excluir