24/06/2019

*Sarna de ouvido em cães e gatos*


O ácaro da orelha Otodectes cynotis, causador da Sarna de ouvido é muito comum em gatos e nos cães. Esse ácaro fica na superfície da pele do condutos auditivo. O seu ciclo é composto pelas fases de ovo, larva, duas fases de ninfa e o adulto (macho ou fêmea). 

            Imagem relacionada         
Os sinais clínicos:
O proprietário normalmente refere-se à coceira intensa, feridas na parte de trás da orelha, o animal geme ao se coçar, chacoalha repetidamente a cabeça.

Ao limpar os ouvidos do animal, nota-se a presença de uma grande quantidade de cera nos ouvidos, de cor castanha bem escura, quase preta, o cerúmen, que em excesso, é causado por uma reação do conduto auditivo em decorrência da presença de inúmeros ácaros.

Tratamento:

É importante estabelecer rapidamente o tratamento devido a uma lesão posterior que pode ocorrer e afetar tanto o canal do ouvido como a orelha ( hematoma aural ) em conseqüência da intensidade e agressividade com que se coçam .

Embora a Sarna de ouvido não passe para os humanos, ela é contagiosa para os animais. Se o animal não for tratado corretamente e houver mais animais na casa, eles todos poderão ser infestados.

O tratamento deve incluir um acaricida aprovado para utilização em gatos/cães, remédio para otite e produtos para higiene da orelha conforme indicação do veterinário.

Se houver outros animais na casa, sejam cães ou gatos, mesmo que só um esteja apresentado sinais, todos deverão receber tratamento preventivo aplicado diariamente no conduto auditivo por um período de tempo, geralmente prolongado, determinado pelo médico veterinário.

Resultado de imagem para sarna orelha caes e gatos


Fique atento e leve ao veterinário se perceber a presença de uma sujeira escura, cera, mau cheiro, sinal de dor ou coceira na orelha de seu bichinho.


22/04/2019

*10 dicas fáceis para incentivar seu gato a beber mais água*



Os gatos são bastante seletivos em relação à água que bebem, o que é uma coisa importante se você vive na selva e pode acabar se contaminando com a água parada, mas não tão importante se você vive dentro de casa e tem uma vasilha de água limpa.

Só que os instintos falam mais alto e muitos gatos acabam não bebendo a quantidade necessária de água da vasilha. Alguns driblam o problema pulando em todas as pias e torneiras abertas da casa ou lambendo o chão do box quando alguém sai do banho – o que é perigoso considerando que ele vai estar engolindo sabonete e shampoo também.

Problemas renais e urinários são infelizmente muito comuns entre os gatos domésticos, especialmente machos castrados, por motivos hormonais. Muitas vezes sedimentos e pedras nos rins ou na bexiga passam despercebidos até que a situação vire uma emergência com risco de vida. E, além disso, a desidratação é tão perigosa para eles quanto para nós (e para os cães).

Por todos esses motivos, é importante incentivar seu amigo a beber água, bastante água. E não é tão difícil quanto parece, confere só:

1. Deixe a água longe da ração.
Esse erro é espantosamente comum e é o principal motivo para os gatos beberem pouca água. Na natureza, se tem um animal morto (comida) perto da água, as chances de ela estar contaminada são altas. Então seu gato pode assumir que a água do lado da ração está contaminada, e não bebe o suficiente.

2. Troque a água várias vezes ao longo do dia.
Água fresca é muito melhor do que água parada, e seu gato sabe.


3. Coloque a água em locais que o gato gosta e circula.
Você nunca teve preguiça de ir até a cozinha buscar água no meio da noite? Seu gato também tem. Coloque vasilhas em lugares que ele fica e em lugares de passagem, para facilitar e ajudá-lo a lembrar que ele precisa beber.

4. Espalhe várias vasilhas de água pela casa, mesmo que seja um apartamento.
Pelo mesmo motivo do item anterior. O ideal é que cada cômodo tenha uma vasilha.


5. Tenha uma fonte.
As fontes oxigenam a água e a fazem circular, coisa que os gatos amam. Existem modelos industriais com filtro de carbono, que são ótimos, mas se precisar de uma opção mais em conta, dá uma olhada e faça uma fonte você mesmo.

6. Não deixe a água no sol.
Coisa básica, mas muita gente esquece que o sol muda de posição ao longo do dia. Preste atenção nisso.


7. Mude o formato da vasilha.
Os gatos odeiam molhar os bigodes e encostá-los na beirada da tigela. Experimente vários formatos para descobrir qual seu amigo prefere. Alguns gatos gostam de beber água em bacias largas e outros em copos, normalmente porque acostumaram que o copo da sua escrivaninha tem água mais fresca que a vasilha deles.

8. Mude o material da vasilha.
A primeira opção para a saúde do seu animal é porcelana e vidro, sempre. Mas a primeira disponível na pet shop é plástico, o grande vilão, que inclusive causa acne felina. Trocar o material pode deixar a água mais atrativa para o gato.


9. Dê ração úmida de sachê ou latinha.
Seu gato absorve a água desses alimentos e não só fica mais hidratado como vai acabar comendo menos, mantendo a saúde trato urinário e o peso ideal. As rações úmidas em patê geralmente são melhores, pois os pedaços ao molho têm menos água e mais amido.

10. Torne a coisa divertida ou saborosa!
Gatos adoram se divertir, e podem adorar um cubo de gelo flutuando na bacia de água. Muitos jogam brinquedinhos na vasilha e ficam pescando depois, use a criatividade! Outra opção é dar um cheirinho para coisa, misture à água um pouquinho de ração úmida ou pedaços de carne (SEM tempero!), é mais para dar cheiro do que gosto – os gatos não são muito bons de sentir gosto, por sinal.



Fonte:gatinhobranco.com
Fotos: Oleg N., Wabisabi2015, Bjorn Hermans, Jon Dejong, Brian Leon, Kärlis Dambräns.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...