29 de outubro de 2012

*O pássaro cativo*



Armas, num galho de árvore, o alçapão
E, em breve, uma avezinha descuidada,
Batendo as asas cai na escravidão.
Dás-lhe então, por esplêndida morada,
Gaiola dourada;
.
Dás-lhe alpiste, e água fresca, e ovos e tudo.
Por que é que, tendo tudo, há de ficar
O passarinho mudo,
Arrepiado e triste sem cantar?
É que, criança, os pássaros não falam..
Só gorjeando a sua dor exalam,
Sem que os homens os possam entender;
Se os pássaros falassem,
Talvez os teus ouvidos escutassem
Este cativo pássaro dizer:
.
"Não quero o teu alpiste!
Gosto mais do alimento que procuro
Na mata livre em que voar me viste;
Tenho água fresca num recanto escuro.
Da selva em que nasci;
Da mata entre os verdores,
Tenho frutos e flores
Sem precisar de ti!
.
Não quero a tua esplêndida gaiola!
Pois nenhuma riqueza me consola,
De haver perdido aquilo que perdi...
Prefiro o ninho humilde construído
.
De folhas secas, plácido, escondido.
Solta-me ao vento e ao sol!
Com que direito à escravidão me obrigas?
Quero saudar as pombas do arrebol!
Quero, ao cair da tarde,
Entoar minhas tristíssimas cantigas!
Por que me prendes? Solta-me, covarde!
Deus me deu por gaiola a imensidade!
Não me roubes a minha liberdade...
Quero voar! Voar!
.
Estas cousas o pássaro diria,
Se pudesse falar,
E a tua alma, criança, tremeria,
Vendo tanta aflição,
E a tua mão tremendo lhe abriria
A porta da prisão...

                                                        (Olavo Bilac)



28 comentários:

  1. Lindo poema!...fico com o coração partido vendo pássaros aprisionados, que tristeza!...Os pássaros devem viver livres e soltos na natureza, é uma pena a ignorância de alguns homens trancando os animais em gaiolas.

    Bjs, Néia e Nikita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Néia e Nikita!
      Que prazer absurdo é esse em admirar as aves aprisionadas em gaiolas?
      Fico muito triste também!
      Bjs

      Excluir
  2. Que poema lindo!
    Você já se preocupava com os animais desde pequenina, não é? Lindo que você fez!
    Fique em paz!
    Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol!
      Sempre fui sensível com tudo que se refere aos animais!
      Obrigada pelo comentário!
      Bjs!

      Excluir
  3. Amei o poema Magda! Super lindo!
    Também não gosto de ver os passarinhos presos na gaiola =(
    Eles devem ser felizes livres, voando por esse ceú mundo a fora!!!!
    Que bonitinha você! Desde pequenina já preocupada com os animais!!!!

    Beijos e linda noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Juh!
      Passarinho foi criado para voar livre, enfeitando ainda mais a natureza!
      Bjs

      Excluir
  4. Um poema lindíssimo,sem dúvida. As asas são para voar e não para ficarem aprisionadas numa gaiola dourada.Também detesto ver as pobres avezinhas privadas de liberdade.Lembro-me sempre da canção:"passarinho na gaiola,feito gente na prisão".
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia,
      Linda relação que você fez com a música! Bem lembrado!
      Bjs.

      Excluir
  5. Lindo poema! Passarinho em gaiola não dá... corre uma frase que diz que passarinho preso em gaiola não canta, lamenta. Bonito teu gesto de soltar o bichinho.
    Quando eu era criança, na minha cartilha escolar tinha um poeminha do Manuel Bandeira que eu achava bonito e triste e chorava ao le-lo - O Pardalzinho. Fala de um pardal de asa quebrada que recebe cuidados de um menino, em uma gaiola, que apesar de seus esforços não consegue salva-lo. No fim, sua alma voa para o céu. Nunca esqueci, ficou gravado na memória.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milene!
      Se eu lesse esse poema de Manuel Bandeira, com certeza, choraria igual criança!
      Sempre me emocionei muito com histórias de finais tristes...
      "Passarinho preso em gaiola não canta, lamenta"...Lindo!!
      Bjs

      Excluir
  6. Me corta o coração ver estes frágeis "bichinhos" presos na gaiola, Magda
    Parabéns pela doce postagem
    Ah, adoramos o visual do blog, viu?
    Beijinhos afetuosos e tudo de melhor
    Com carinho de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Verena!
      Então vocês gostaram do meu Bloguito? Obrigada!
      Beijinhos, meus queridos!

      Excluir
  7. Realmente esse poema é belíssimo, e me trouxe lembranças de minha adolescência... eu amo Olavo Bilac e me lembro da primeira vez que li esse poema na escola, tinha um periquito australiano azul e branco... e acredita que abri a gaiola e fiz o bichinho voar... minha mãe ficou louca dizendo que ele não iria sobreviver... e não sei o que aconteceu, ele não voltou... e eu nunca mais tive um passarinho...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Vamos pensar positivo Mi! O passarinho que você soltou, por instinto, conseguiu sobreviver.
    Eu não pensei nisso quando soltei o passarinho amarelo, queria apenas libertá-lo daquela prisão.
    Eu também nunca mais tive nenhum passarinho.... se tivesse, teria soltado todos rs
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi Magda, lindo poema, não tenho passarinho, apenas cão e gato, mas nem meu cão usa coleira, os pássaros foram criados por Deus para ganhar a imensidão,pousar nas arvores e não em um puleiro dentro de uma gaiola, tem asas mas não podem voar??? realmente eu abriria a gaiola também. Beijoss

    ResponderExcluir
  10. Oi Rosangela!
    É isso mesmo!
    Como é bom ver os pássaros voando e cantando felizes!
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Minha Querida,
    Eu adoro o seu Blog e suas Postagens são Maravilhosas!

    Um Beijo Enorme
    Andrea

    ResponderExcluir
  12. Obrigada Andréa querida!
    Amo seu Blog também!
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá Magda!
    Que lindo o Poema!
    Eu amo pássaros, mas não gosto de gaiolas.
    É triste ver quem nasceu livre, ter que ficar aprisionado pela ganância do homem.
    Amo vir aqui, porque sempre me emociono... e hoje foi especial!
    Obrigada pelo seu carinho e seu sorriso que me deixa muito feliz!
    Bjs,
    Josi

    ResponderExcluir
  14. Oi Josi!
    Obrigada pelo comentário e pelas palavras sempre carinhosas!
    Bjs querida!

    ResponderExcluir
  15. Oi amiga, como sempre fico encantada com o que encontro por aqui.

    Esse poema é lindo e transmite exatamente o que acontece, pena que são poucos os que conseguem ler entender.

    Bjsssssss querida e uma semana maravilhosa.

    ResponderExcluir
  16. Oi Dinha!
    É verdade, o homem ainda está longe de amar e respeitar qualquer espécie de vida animal...infelizmente.
    Bjs querida!

    ResponderExcluir
  17. oi Magda,lindo poema e ao mesmo tempo muito triste não gosto de pássaros presos,aqui em casa vem muitos pássaros vem para se alimentar beber água,e com isso eu ganho lindos cantos todos os dias bjs Rosinha

    ResponderExcluir
  18. Que lindo Rosinha!
    Em retribuição eles cantam pra você!
    Bjs e obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  19. Vim aqui ver este post e gostei. As frases da poesia me fizeram lembrar que:

    Fui criada numa fazenda, onde brincava com primos da minha idade... meu tio (pai deles) nunca admitiu gaiolas, nem alçapão e nem estilingue.
    Foi assim que aprendi a respeitar os animais...
    Hoje passarinhos vem cantar no meu pequeno jardim e eu me sinto premiada!
    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  20. Querida Jan!
    Você realmente é premiada! Nem todos têm o privilégio de ter passarinhos cantando em seu jardim!
    Lindo seu relato!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  21. Hoje 26/03/2015 um amigo bateu à minha porta, e perguntou se não tenho uma gaiola para lhe emprestar; recitei parte desta maravilhosa poesia e recomendei que lesse o pássaro cativo, de Olavo Bilac.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que esse poema tenha tocado o coração de seu amigo...
      Obrigada pela visita!

      Excluir